Atricon fará laboratórios de boas práticas de controle externo a cada 2 anos

O presidente da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil – Atricon, conselheiro Fábio Túlio Filgueiras Nogueira (TCE-PB), anunciou a inclusão, no calendário da entidade, da realização, a cada dois anos, de eventos similares ao 1º Laboratório de Boas Práticas do Controle Externo organizado pelo TCE-MT. O sucesso do modelo utilizado e os resultados do evento recomendam essa decisão, justificou.

O anúncio foi feito em reunião com os conselheiros presidente e vice-presidente do TCE-MT, respectivamente Gonçalo Domingos de Campos Neto e Luiz Henrique Lima, para agradecer pela recepção e qualidade do evento, que contou com 538 inscritos. Nogueira estava acompanhado por conselheiros de 10 Tribunais de Contas.

Segundo o presidente da Atricon, a experiência do 1º Laboratório demonstrou a importância e a necessidade de eventos voltados para o compartilhamento de soluções já encontradas por Cortes de Contas. “O grande desafio será fazer eventos com a qualidade realizada por Mato Grosso”.

O presidente do TCE-RN, conselheiro Antônio Gilberto de Oliveira Jales, elogiou o TCE-MT e disse que “tudo que saiu de Mato Grosso para o sistema nacional de controle externo, como a cultura de Planejamento Estratégico e as bases do Marco de Avaliação de Desempenho dos TCs, sempre foi de grande contribuição”. Jales propôs que os laboratórios sejam realizados sempre após a aplicação e as avaliações do MMD-TC.

 

A conselheira do TCE-PA, Milene Cunha, afirmou que isoladamente uma boa prática de um Tribunal de Contas não tem a capacidade transformadora que passa a ter quando começa a ser compartilhada. “Essa experiência oferecida pelo TCE-MT tem que ser seguida e compartilhada”. O conselheiro substituto do TCE-PI Jaylson Campello acrescentou sua alegria com o Laboratório, ponderando que até sabia da existência de boas práticas, mas desconhecia a quantidade e a qualidade.

O conselheiro Renato Rainha, do TC-DF, revelou que vai levar para o seu Tribunal de Contas mais de 20 experiências demonstradas por outros TCs, enquanto que apresentou duas boas práticas.

O conselheiro presidente Domingos Neto e o conselheiro substituto Luiz Henrique Lima agradeceram as menções elogiosas ao TCE-MT e manifestaram a satisfação por ter inspirado a Atricon na decisão de replicar o Laboratório de Boas Práticas do Controle Externo.

O sucesso do 1º Laboratório tem que ser creditado aos mais de 20 Tribunais de Contas que enviaram mais de 70 representantes para apresentar as suas boas práticas. Todos os TCs têm boas práticas para oferecer e também aprender, disse Lima.